Paulo Bernardo volta a criticar centralização da internet nos EUA

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, criticou hoje (11/9) a centralização do sistema de gestão da internet mundial nos Estados Unidos, ao falar no Senado Federal sobre as denúncias de espionagem do governo norte-americano sobre as comunicações digitais. Paulo Bernardo garantiu que o governo brasieileiro cvoltará a defender uma governança multilateral para a Internet em órgãos internacionais e anunciou também investimentos no lançamento de um novo satélite de comunicações nacional, previsto para entrar no ar no fim de 2014 e planos para a construção de cabos submarinos ligando o Brasil à Europa e à África como instrumentos para diminuir a vulnerabilidade do país a interceptações e monitoramentos realizados pelos órgãos de inteligência dos Estados Unidos.
Sobre a Internet
 
“Nós sempre defendemos que a internet seja regida por um organismo multilateral internacional e sempre criticamos o fato de a governança da internet ser absolutamente centralizada nos Estados Unidos, organizada por uma empresa privada norte-americana. Esse não é um mecanismo adequado para o grande ambiente de comunicação internacional que é a internet”, disse Paulo Bernardo, durante audiência pública na Comissão de Relações Exteriores do Senado.
“Em dezembro, tivemos reunião com uma delegação dos Estados Unidos. Eles argumentavam que isso [gestão partilhada da internet] poderia esconder uma tentativa de governos para controlar a internet. Isso nos foi dito por integrantes dos departamentos de Defesa e de Comércio dos Estados Unidos. Menos de seis meses depois, ficamos sabendo que o que eles diziam que poderia acontecer já estava ocorrendo, segundo as denúncias, há pelo menos sete anos”, acrescentou o ministro.
Satélite
 
Em sua fala no Senado, o ministro Paulo Bernardo informou que o custo de tráfego da internet brasileira para os EUA chega a US$ 650 milhões por ano. Para reduzir esses valores, uma das medidas defendidas pelo ministro é a construção de mais centros de processamentos de dados (data centers) no país e investimentos em infraestrutura, como a instalação no Brasil de Pontos de Troca de Tráfego (PTTs) internacionais, além da construção de cabos submarinos ligando o Brasil à Europa e à África e do lançamento de um novo satélite nacional.
O ministro lembrou que as telecomunicações por meio de satélite têm importância “absolutamente vital” para o País.Por isso, está programado o lançamento de um satélite para comunicações civis e militares até 2014. Um dos objetivos do governo é levar internet de alta velocidade a municípios e povoados no interior do país, onde seria praticamente impossível a utilização de outras tecnologias. Segundo o ministro, o satélite custará cerca de R$ 750 milhões e será desenvolvido e montado por uma empresa que será criada, formada por Telebras e Embraer.
Via: IDG Now

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s