Apesar das vendas ruins, o sistema Windows RT é crucial para a Microsoft

Não chore pelo Windows RT, o sistema operacional “capado” condenado a ser o patinho feio da família Windows (para alívio do Windows Phone). Embora seu nascimento difícil tenha levado a uma infância ainda mais difícil, sua própria existência é um astuto plano da Microsoft para garantir o futuro. Mesmo que hoje em dia ele seja tão impopular.
Golpe sobre golpe
É fácil sentir pena do Windows RT. Projetado especificamente para uso em dispositivos equipados com processadores ARM em vez dos processadores baseados na arquitetura x86 que são usados nos computadores tradicionais, aparelhos com o Windows RT podem rodar apenas apps projetados para a “Interface Moderna” do Windows 8, com exceção de uma versão especial do Office 2013. Apps “clássicos” para o desktop, projetados para versões anteriores do Windows, simplesmente não funcionam.
Mas além destas restrições técnicas, o sistema vem sofrendo um nível inacreditável de negligência. A Windows Store – um ponto vital do Windows RT e de toda a interface moderna – ainda não impressiona. Com poucos apps de destaque para atrair os usuários e nenhuma capacidade de rodar software para o desktop, o Windows RT não tem sido um sucesso entre os consumidores. O IDC estima que apenas 200 mil aparelhos com o Windows RT foram entregues às lojas no primeiro trimestre deste ano, e a maioria destes era o Surface RT, um tablet da própria Microsoft.
Incapazes de vender tablets com o Windows RT, muitos fabricantes simplesmente pararam de produzí-los. E os desenvolvedores de software não estão exatamente fazendo fila para suportar a interface moderna. Grandes estúdios de jogos tem ignorado a Windows Store, e a Apple recentemente descartou a idéia de adaptar o iTunes para o Windows 8 e RT. O sistema foi ignorado na CES, na Computex e durante a palestra de abertura da Build 2013, uma conferência da própria Microsoft.
Os golpes continuam sendo desferidos contra o Windows RT. Mas o importante é que mesmo que tablets Windows com processadores ARM tenham fracassado no mercado até o momento, eles já tiveram um grande impacto no mercado de tablets Windows no geral, e seu papel só irá crescer no futuro.
Consumo frugal
“Para a Microsoft o Windows RT é uma jogada estratégica de longo prazo”, diz Patrick Moorhead, fundador e principal analista da Moor Insights and Strategy.
Entretanto, a jogada a longo prazo já está rendendo dividendos a curto prazo. Parte do motivo do sucesso da AMD no mundo da mobilidade é que os chips que ela projeta e licencia para outros fabricantes são verdadeiras maravilhas da eficiência energética.
Se a autonomia de bateria não é tudo para um smartphone ou tablet, definitivamente está no topo da lista. E os processadores x86 que a Intel e AMD tradicionalmente produziam não eram competitivos nesta área. Os híbridos com processadores Intel Core que chegaram ao mercado por volta do lançamento do Windows 8 (como o Surface Pro da Microsoft, XPS 12 da Lenovo e IdeaPad Yoga 13 da Lenovo) tinham imensa dificuldade em chegar a 5 horas de autonomia de bateria. É um número decente para um Ultrabook, mas não é o suficiente para um tablet. Tablets Android ou os modelos da Apple rotineiramente chegam a mais de 8 horas de autonomia com apenas uma carga.
importanciart_xps12-600px.jpg

O Dell XPS 12 é um ótimo híbrido, mas comparado aos tablets a autonomia de bateria é horrenda

Mas logo após o lançamento do Windows 8 e do Windows RT a Intel lançou o processador Clover Trail, baseado na arquitetura x86, capaz de rodar o Windows 8 completo e com autonomia de bateria para “um dia inteiro”. Logo, aparelhos como o Samsung ATIV Smart PC e o Acer Iconia W510 apareceram, oferecendo todos os recursos de um desktop clássico e mais de 8 horas de autonomia. Os tablets com Windows 8 subitamente tiveram um salto, enquanto os tablets com Windows RT perderam força, já que ficaram sem seu principal diferencial.
Mas não pense que a rápida habilidade demonstrada pela Intel no controle do consumo de energia foi um golpe de sorte. O desenvolvimento de chips leva anos, e a Intel sem dúvidas começou a imaginar o Clover Trail logo que ficou aparente que os tablets haviam chegado para ficar. E o Windows RT serviu como uma espécie de “incentivo”. A Intel teve dois anos para aumentar a eficiência energética de seus chips após o anúncio do Windows RT.
“O Windows RT foi projetado para dar à Intel algo no que pensar em termos de eficiência energética e desempenho em um determinado nível de energia”, disse Moorhead. “Em essência, para mantê-los na linha. Eu vi uma notável melhoria nos processadores de baixo consumo da Intel assim que o Windows RT e o suporte da Microsoft à arquitetura ARM foram anunciados”.
É como se a Microsoft tivesse mandado um recado à Intel: “Queremos chegar aos tablets. Se vocês não puderem nos acompanhar, temos uma alternativa. Mexam-se!”
É engraçado ver como isso aconteceu e continua a acontecer, na forma dos novos processadores Intel Atom baseados na arquitetura “Silvermont” e nos recém-lançados processadores da família Haswell, ambos com ênfase na eficiência energética. A AMD também está ajustando seu foco na mobilidade.
Estamos chegando ao ponto onde os híbridos poderão saciar nossa sede por tablets, e isso não teria acontecido tão rápido sem o Windows RT.
Como o WinRT irá ajudar o Windows RT
O Windows RT desempenha outro fator crucial no futuro do ecossistema Windows, embora este futuro não pareça nada atraente hoje. Estou falando da Windows Store.
Todo o papo sobre múltiplas plataformas durante a Build 2013 e uma parte substancial dos esforços recentes da Microsoft giram ao redor de capacidade de várias partes do ecossistema Windows conversarem entre si. A interface moderna e todos os seus apps rodam sobre uma arquitetura de aplicações chamada Windows Runtime, ou WinRT. Não confunda ela com o sistema operacional Windows RT (maldita nomenclatura, Microsoft!). O Windows Runtime suporta várias linguagens de programação e roda tão bem em processadores x86 quanto ARM. E os smartphones Windows Phone 8 rodam uma variante dela chamada Windows Phone Runtime.
importanciart_wp8-600px.jpg

Se as lojas do Windows 8 e Windows Phone forem unificadas, será graças ao ambiente WinRT

Esse é um ponto crucial. À medida em que mais apps modernos se tornem disponíveis, eles serão capazes de rodar em uma gama muito mais variada de hardware, especialmente à medida que a Microsoft tornar o Windows propriamente dito ainda mais próximo do resto de seu ecossistema.
Isso não só significa mais escolha para os consumidores a longo prazo, como também significa mais flexibilidade para a Microsoft. E à medida em que parceiros de longa data da empresa como a Intel e AMD flertam com o Android, o Windows RT e a arquitetura de aplicações WinRT ajudam a Microsoft a construir um futuro com mais opções em aberto.
Aí é que está a genialidade do “Cavalo de Tróia” da Microsoft. Cada cópia do Windows 8 vendida inclui a interface moderna. Quanto mais usuários de Windows 8 existirem, mas provável será que os desenvolvedores encham a Windows Store com novos apps, e como a Windows Store, em sua maior parte, tem apps WinRT em vez de programas para o Desktop “clássico”, o Windows RT se torna mais forte com o passar do tempo, mesmo que ninguém compre os tablets hoje.
“A longo prazo, creio que em cerca de três anos, provavelmente veremos um catálogo completo de aplicativos Windows baseados na nova interface”, diz Moorhead.
Como eu disse: gênio! E a Microsoft está promovendo intensamente a Windows Store.
Durante a Build 2013 a empresa anunciou versões modernas de apps como o Facebook, Flipboard e Foursquare. E embora o Windows RT especificamente não tenha sido mencionado durante a palestra de abertura, um ponto chave de seu futuro foi, na forma de uma versão “alfa” de um Office no estilo Moderno.
importanciart_powerpoint-600px.jpg

Julie Larson-Green, da Microsoft, apresentou uma versão “moderna” do PowerPoint durante a Build 2013

“Ver a Microsoft anunciando um Office moderno, ou ao menos mostrando o PowerPoint para Windows RT na interface moderna foi, para mim, a mensagem absoluta de que para a Microsoft a interface moderna é o futuro e o desktop é o passado.”, diz Moorhead. “Embora eu acredite que a Microsoft tenha dito isto prematuramente, seus atos dizem muito mais do que suas palavras.”
Rumo ao futuro
A morte do desktop não é iminente, mas não é difícil ver seu fim escrito em letras garrafais pelos atos da Microsoft.
O Windows 8.1 faz várias concessões aos fãs do desktop. Mas o mais importante para o Windows RT é que apara várias das arestas mais visíveis do Windows 8, tornando a interface moderna muito mais palatável. É perfeito? Não. Mas o Windows 8.1 tem alguns recursos atrantes que avançam a visão da Interface Moderna, e simplificam a navegação por ela, com menos “quedas” assustadoras de volta ao Desktop.
A Microsoft tem planos de longo prazo para o Windows 8 e a interface moderna. E a estrela do Windows RT irá brilhar mais à medida em que esta dupla ganhar mercado. Nesse meio termo, a simples existência do Windows RT incentiva os tradicionais notebooks e híbrido com Windows a ter uma maior autonomia de bateria e melhor compatibilidade entre plataformas. Nada mal para uma plataforma que deveria, sob todos os aspectos, estar agonizando.
De fato, seu futuro se resume à uma simples guerra de vontades. Será que o teimoso foco da Microsoft na interface moderna consegue superar a demanda dos consumidores pelo Desktop? Só o tempo poderá dizer.
Via: IDG Now

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s