Conheça a Hi, uma rede social com fotos, inspiração e estratégias

A Hi que pretente “mapear o mundo com a narrativa”, unindo o melhor do Instagram com o melhor do Twitter. Atualmente é aberta somente para convidados.
 
As redes sociais estão se tornando muito comuns. A maioria são infinitas variações do mesmo tema de compartilhamento social, e poucas são interessantes. Mas a “Hi” é diferente. Como define a startup Mad Libs, “é tipo uma Airbnb só que com barcos” ou “é como se fosse um Twitter para gatos”. A Hi é como o Instagram para escritores.
A Hi combina a composição de fotografias que fez o Instagram ser tão popular com ambas as opções: de legendas curtas – o que o site chama de “sketch” (ou esboço, em tradução livre) – ou de “mergulhar profundamente” em uma história por trás da imagem.
Você pode rapidamente enviar um sketch e retornar a ele posteriormente para editá-lo (lê-se expandi-lo), fazendo com que a seu descrição de 100 palavras se transforme em uma conto, ou um poema épico.
Isso não é o LiveJournal ou outro serviço de microbbloging que os adolescentes tanto gostam. Os usuários da Hi são pessoas introspectivas com coisas bonitas para dizer sobre suas cidades.
Pegando o espírito da coisa
Localização é a chave para a Hi, que afirma ter como missão “ter a narrativa para mapear o mundo”. A rede cresceu para além da sua base em Tóquio, no jornal literário chamado de Hitotoki.
Os cofundadores da Hi, o ex-designer de produtos da Flipboard Craig Mod e o designer Chris Palmieri, pegaram a revista digital (que coletou histórias curtas sobre Tóquio) e a transformaram na Hi – que é projetada para coletar histórias do mundo todo.
“Grandes cidades são definidas por um entrelaçamento de perspectivas e experiência de algumas pessoas que viveram lá há décadas e outras que acabaram de chegar”, diz Palmieri. “Esperamos capturar uma mistura sólida disso com a Hi”.
A rede social foi lançada em 17 de julho, mas já possui usuários de mais de 600 cidades mundo afora. O site atualmente é apenas para convidados, afim de manter conteúdo de alta-qualidade no fluxo (e para prevenir que os servidores da companhia fiquem sobrecarregados, disse Mod).
hi-sketch
Procure “esboços” ou faça o seu por meio do site móvel da Hi

Aplicativos de smartphones estão sendo desenvolvidos, mas por enquanto os usuários estão salvando a home do site móvel em sua tela inicial para fazer upload de fotos rapidamente. 
A equipe da Hi espera que tags específicas de localização de imagens (que também incluem informações sobre o tempo) capturarem e classifiquem momentos de grandes eventos. Em relação a isso, a Hi é literalmente como “um filhote” do Instagram, Twitter e Storify.
Um escritor enviou uma foto de uma festa de rua em Abdeen, no Egito, para comemorar a vida de um amigo morto no ano passado nos confrontos da Praça Tahrir. “A rua, palco de tantos confrontos com a polícia, agora com todos esses incríveis murais e grafites, faz sentir acolhedor e aconchegante”, escreveu ele. “No final da noite, alguém trouxe um bolo.”
O momento Abdeen – um simples cenário com grandes implicações, capturado e compartilhado na Hi – é exatamente o que Mod e Palmieri querem. 
Há também um astronauta que recentemente se juntou à rede. “Esperamos ver algumas meditações sobre a vida na ISS [Estação Espacial Internacional] em algum momento”, diz Mod.
A próxima fase
Procurar ou enviar esboços por meio do site móvel da Hi. Ativistas e astronautas à parte, os usuários da rede são pessoas comuns que usam a plataforma para fazer upload de fotos de São Francisco, Tóquio e Dublin, com pensamentos sobre seus dias, suas carreiras e suas vidas. 
Se você quiser saber mais sobre um sketch ou uma fotografia, você pode pedir ao usuário para “estender o momento” (“extend the moment”), para escrever mais.
A Hi tem grandes planos. Aplicativos e mais ferramentas sociais estão chegando. Atualmente, os usuários podem criar perfis com informações básicas, como bio e sua localização, mas eles não podem adicionar amigos ou seguir outras pessoas – se deparando aleatoriamente com esboços de outros usuários. Mas tudo isso pode mudar em breve.
A intenção de Mod e Palmieri é manter a Hi somente para convidados apenas até “entender exatamente como a plataforma será utilizada e como ela será capaz de testar os principais novos recursos, e se a comunidade tende resistir a uma abertura pública”, diz Mod.
Imagine isso: uma rede social com uma estratégia. A Hi só pode ter um futuro brilhante.
Via: IDGNow

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s