Hashtags do Facebook não impulsionaram engajamento social

Hashtags do Facebook não impulsionaram engajamento social 
Você está #taggeando os posts do seu negócio no Facebook e clicando nas #hashtags da mesma forma que você faz (ou deveria fazer) no Twitter? Não? Parece que ninguém está. O recurso, liberado em junho, foi lançado como sendo uma ótima forma de dar a comerciantes mais poder sobre suas mensagens, bem como dar aos usuários outra forma de buscar conteúdo que eles estejam interessados. Você sabe, igual acontece no Twitter.
Apesar da enorme popularidade no microblog, as hashtags da rede social de Mark Zuckerberg ainda não “pegaram”. A Simply Measured, que analisa empresas de mídias sociais e mensura a performance de comerciantes online, disse que, a partir do final de junho, as empresas adotaram o uso das hashtags em suas postagens – sendo 20% de todas as mensagens comerciais contém o recurso.
Isso parece um número extremamente elevado, baseado na rápida análise que fiz hoje por entre páginas de grandes marcas no Facebook. Mas, de qualquer forma, esse impacto parece pouco – para não dizer mínimo. “Até agora, as postagens de marcas contendo hashtags não estão estimulando qualquer engajamento adicional”, diz o relatório, “elas estão atuando no mesmo nível que as mensagens sem hashtags, sugerindo que as pessoas ainda não estão descobrindo as mensagens da marca por meio de ‘tags’.”
O mesmo estudo, que mostra bem o que o Facebook tentou e o que realmente aconteceu: fotos representam 74% das postagens de marcas na rede social, e elas representam 95% do total do engajamento no site (só para constar, uma vez que sua atualização de status ultrapassa 99 caracteres, o engajamento cai consideravelmente. Em geral, quanto maior o update, pior a sua performance).
Por que as hashtags não têm a mesma atuação no Facebook como têm no Twitter? (mensagens no microblog com hashtags têm cerca de duas vezes mais chances de serem retuitadas do que tweets sem elas).
Para começar, a implementação no Facebook parece estar lamentavelmente incompleta. As hashtags na rede social de Zuckerberg são sempre “clicáveis” no post, mas em comentários elas nem sempre parecem funcionar.
E uma vez que você começa uma página dedicada uma hashtag, essas páginas (que não são páginas independentes, mas sim pop-ups sobrepostos à página de origem do clique) tendem a carregar lentamente e não aparecem em qualquer ordem cronológica – o que a torna uma mera página de tópicos, com questões de interesse público limitado.
O maior problema, no entanto, é que as hashtags não foram bem integradas à experiência do Facebook. Visite o Twitter e elas irão te alcançar desde o primeiro momento, bem ali nos “Trends”, onde você não pode evitá-las.
Enquanto isso, não espere grandes mudanças em um futuro. Toda a atenção no Facebook agora está voltada para ver o que vai acontecer com o sistema de auto-reprodução de propagandas em vídeo, que, segundo rumores, há tempos foi desenvolvida pela empresa.
Esses rumores atingiram o auge nos últimos dias, com o anúncio da empresa de planos para vender anúncios “roadblock” por um preço máximo de 2,5 milhões de dólares por dia. 
Ao contrário de hashtags, você não terá qualquer dificuldade em encontrar essas monstruosidades: se os rumores estiverem corretos, eles são projetados para serem “unskippable”, ou seja, sem chance de pular a propaganda.
Via: IDGNow
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s