Raspberry Pi, o computador de US$ 35

Quando criamos um artigo explicando o que é o Raspberry Pi ainda tínhamos uma visão muito superficial dele, afinal a placa mal tinha sido lançada e era difícil imaginar tudo o ela seria capaz olhando apenas uma lista de especificações. Tivemos a oportunidade de brincar com o modelo B, que foi atualizado e agora conta com 512 MB de memória RAM e vem com o mesmo processador de 700 MHz, saindo pelo preço de US$ 35 (algo próximo de R$ 80 na cotação atual) e contando com o surpeendente tamanho de um cartão de crédito. 
Raspian 01
O preço não inclui um case para proteger o Raspberry Pi, o que leva a um problema um tanto ridículo: como ele pesa míseros 45 gramas, o cabo HDMI que conectamos acaba arrastando a placa para lá e para cá, o que pode danificar a parte de baixo dele, mas nada que colocar um livro em cima dele não resolva (afinal, não há nenhuma parte móvel). Dos sistema operacionais compatíveis com o Pi escolhemos o Raspbian, uma variação do Debian Linux criada especificamente para ele, por uma questão da familiaridade.
Pegamos um cartão SD de 4 GB (mínimo recomendado), descompactamos o sistema operacional nele, pegamos um teclado e mouse bluetooth (que funcionou sem problemas) e ligamos o Pi, o que significa basicamente conectar o cabo micro USB, já que não há um botão “power”. Depois de alguns segundos estamos na tela de login em modo texto, algo pouco atrativo, então subimos a interface gráfica (para isso basta dar o comando “startx” como em qualquer distribuição Linux) e voilá! O Raspbian inicia com a interface LXDE do Linux, desenvolvida especificamente para computadores antigos ou com um hardware lento.
Raspian 03
E aqui vemos o que 700 MHz é capaz de fazer. A interface roda de modo bastante sofrível, se compararmos com qualquer computador ou notebook da atualidade, mas vale lembrar: custa apenas US$ 35. O navegador padrão é o Midori, um browser bastante leve do LXDE, e pesquisar não é tão devagar assim. A primeira coisa que fizemos foi entrar no YouTube para ver se o Pi é realmente capaz de rodar um vídeo em 1080p como as especificações mostram, e sim, ele realmente faz isso sem grandes problemas, já que mesmo que seu processador seja de 700 MHz ele traz uma GPU VideoCore IV, criada para decodificar áudio e vídeo consumindo o mínimo de energia possível.
Ao abrir mais de 2 aplicativos ao mesmo tempo o Pi fica irritantemente lento, algo esperado com somente 512 MB de memória RAM, mas é algo que melhora um pouco ao fazermos um overclock. Sim, é possível fazer um overclock nele sem grandes problemas, e colocá-lo para funcionar a 800 MHz não causa nem instabilidade nem problemas de sobreaquecimento. Para overclocks maiores é preciso dar um overvolt, algo bastante perigoso para quem não possui experiência nessa área, mas quem desejar fazê-lo deixamos uma dica: coloque pelo menos um dissipador em cima do processador para não correr um risco tão grande de danificá-lo.
Overclock Raspberry Pi
O Pi foi desenvolvido para estudantes que desejam aprender programação e, claro, podem investir o mínimo possível. O que reparamos foi que ele possui um suporte fortíssimo à linguagem de programação Python, que é bastante fácil de aprender para quem está estudando como programar. Há tanto um IDE quanto outros programas dedicados para quem quer sair do básico e construir aplicativos mais completos, então, educacionalmente falando, o Raspberry Pi cumpre o seu objetivo.
Há uma loja de aplicativos (Pi Store) com um repertório ainda bastante ruim, mas é algo que com certeza irá mudar com o passar do tempo considerando a demanda pelo Pi (e você pode ajudar também!). Considerando o conjunto da obra é realmente espantoso que um computador do tamanho de um cartão de crédito, consumindo míseros 3,5 watts de energia e com o preço de US$ 35, tenha funcionado tão bem. Antes de julgá-lo por ser bastante lento para tarefas do dia a dia, lembre-se de tudo isso.
Raspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry PiRaspberry Pi
Raspberry Pi
Raspberry Pi slideshowlupa
O Raspberry Pi ainda não é vendido oficialmente no Brasil e ainda não há uma previsão para tal. Lembre-se de que quando ele chegar aqui teremos acréscimos acumulados do custo Brasil (nossa péssima infraestrutura de transporte e distribuição), lucro Brasil (margens de 400% de quem irá revendê-lo) e impostos (afinal, educação e acesso a tecnologias nunca foi prioridade do governo), podemos esperar que ele chegue por cerca de R$ 300 ou mais.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s