Yahoo libera relatório de transparência. Brasil pediu dados sobre 385 pessoas

Em seu primeiro relatório global de transparência, o Yahoo revela que recebeu 12.444 pedidos do governo americano para revelar dados de seus usuários na primeira metade do ano de 2013. Do total de pedidos, 11.402 foram atendidos, com a liberação dos dados. O relatório está disponível online.
O relatório foi divulgado nesta sexta-feira, 06/09, e mostra que governos de 17 países, incluindo o Brasil, fizeram 30 mil pedidos de informações sigilosas usando instrumentos legais de solicitação que envolveram um total de 63 mil contas de usuários. Esse número, segundo o Yahoo, representa menos de 0,01% da base total mundial de usuários da Yahoo.
No Brasil, foram feitos 308 pedidos envolvendo 385 contas de usuários. Desses pedidos, 51 foram rejeitados; 54 resultaram em nenhum dado encontrado; 146 envolveram apenas a liberação de dados de registro (email alternativo, endereço de IP, nome ou localização);  e 57 tiveram conteúdo liberado (textos de e-mail, fotos do Flickr ou outros dados armazenados nos servidores da companhia).
O Yahoo declara ter 700 milhões de usuários ativos em 60 países, mas não separa quantos são dos Estados Unidos. A empresa diz que regularmente rejeita pedidos que considera inapropriados para acesso a dados sigilosos dos seus usuários, incluindo pedidos obscuros ou ilegais, disse o diretor jurídico do Yahoo, Ron Bell. A empresa planeja liberar o relatório de transparência a cada seis meses.
No caso dos pedidos dos Estados Unidos, para cerca de 7 mil pedidos entre 1 de janeiro e 30 de junho de 2013 apenas dados de registro foram liberados, mas outros 4,5 mil pedidos resultados em liberação de conteúdo armazenado nos servidores da empresa, tais como comunicação via e-mail ou mensagem instantânea; dados do Yahoo Address Book, arquivos e fotos que foram guardados, diz  o relatório.
O relatório foi liberado pela empresa em meio ao agito gerado por uma série de vazamentos feitos pelo ex-funcionário da National Security Agency (NSA), Edward Snowden, que revelou as práticas do governo americano de coletar dados gerados por comunicações digitais entre usuários de internet alegando interesses de segurança nacional. Uma das revelações mais importantes de Snowden diz respeito ao programa conhecido como Prism, que supostamente dá à NSA a habilidade de coletar dados do Google, Apple, Microsoft, Yahoo e outras companhias de tecnologia.
Desde os primeiros vazamentos de informações de Snowden, em junho deste ano a vários veículos de comunicação, incluindo o jornal inglês The Guardian e o The New York Times, empresas de tecnologia como a Google e a Microsoft pediram permissão para esclarecer o número de pedidos de informações sigilosas que receberam dos governos. Atualmente, as empresas apenas podem revelar o número de pedidos feitos sob a vigência da Lei de Vigilância Estrangeira dos EUA se eles os aglutinarem com outros pedidos de outras agências legais dos EUA.
Por conta disso, o Yahoo também juntou todos os pedidos num só bloco, sem separar aqueles que foram solicitados pela NSA do resto dos pedidos. “Incluímos os pedidos de segurança nacional dentro das nossas estatísticas”, disse o diretor jurídico do Yahoo, Ron Bell, num post no blog.
O relatório do Yahoo não inclui dados do Tumblr, diz a empresa, já que a compra pelo Tumblr pelo Yahoo foi anunciada só em maio deste ano. Segundo o Yahoo, o relatório de transparência do Tumblr será liberado mais a frente.
Via: IDGNow

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s