Biólogos usam Google Street View para combater espécies invasoras

O Google Street View, serviço que permite ver detalhes de um local, como a rua de uma cidade, pode ser uma arma poderosa diante da cara e morosa luta contra as espécies invasivas, afirmaram biólogos franceses esta quinta-feira.
Uma equipe de cientistas da Agência Nacional Francesa para a Pesquisa Agrícola (INRA) usou a ferramenta online, que fornece imagens em 360 graus de ruas filmadas por carros equipados especialmente, para mensurar a disseminação de um inseto que mata as árvores.
A traça-processionária do pinheiro (Thaumetopoea pityocampa) é uma criatura comedora de folhas nativa do sul da Europa, mas que sobe para o norte do continente e altitudes mais elevadas quando as temperaturas sobem.
Sua comida favorita é o pinheiro-larício (Pinus nigra), usado extensivamente em florestas de manejo na Europa e jardins ornamentais.
No outono, as larvas da traça constroem um ninho para se abrigar no inverno, uma casa facilmente avistada feita de seda branca e brilhante na extremidade dos galhos, o que lembra uma lâmpada cheia de pelos.
Usando isto como um indicador, os cientistas “circularam” por uma grande área com o Google Street View para mapear regiões que foram invadidas pela traça. A área de 47 mil quilômetros quadrados – maior do que a Holanda – foi dividida em uma grade com 183 “células” de larga escala, cada um medindo 16 km por 16 km.
Quando um ninho foi detectado, a “célula” foi marcada como infectada.
Os resultados do Google Street View foram 90% mais precisos em um teste realizado no solo por uma pessoa, que percorreu a área de carro. No entanto, a ciber-marcação teve menos sucesso em um teste diferente realizado em escala menor.
Uma área de testes de 121 quilômetros quadrados foi dividida em “células” menores, mas o Google Street View teve um desempenho inferior, em parte devido à falta de rodovias em alguns lugares.
“Nossos resultados demostram que (o Street View) tem um uso futuro promissor”, acrescentou.
No começo do ano, um estudo-piloto similar, realizado por biólogos espanhóis mapeou áreas no norte da Espanha que poderiam ser hábitats em potencial para duas espécies de abutre, provando a utilidade do Google Street View para a identificação de espécies em risco de extinção e invasivas.
Ambos os estudos foram publicados no periódico de acesso livre PLoS One.
Via: Terra

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s