3 pontos definitivos para a segurança de qualquer PC

Ter o PC infectado é quase tão comum como pegar uma gripe anualmente, o que ocorre de fato é que a grande maioria dos usuários está usando o computador de uma forma vulnerável, e estranho seria se eles não fossem infectados desta maneira!
Existem muitas e muitas recomendações de segurança, artigos e mais artigos sobre cada questão, mas o que proponho são 3 paços simples e na verdade óbvios que deixam você muito menos vulnerável à ameaças e permite uma recuperação muito mais rápida do que simplesmente formatando o seu PC.
1º – Nunca, mas nunca use contas com privilégio de administrador
Quando se usa Linux os usuários tomam um choque por que a conta de usuário “padrão” simplesmente não tem permissão para alterar configurações do sistema, como instalar programas, alterar a hora, ou mesmo alterar arquivos do sistema e de outros usuários. Na verdade esta é uma prática muito óbvia do ponto de vista da segurança, no entanto a maneira como o Windows vem configurado (com a sua conta de usuário com privilégios de administrador) deixa para trás o conceito e faz com que o usuário e os vírus se sintam  a vontade para executar qualquer código e fazer qualquer alteração no sistema, sem o mínimo de restrição.  

Ironicamente, no help do Windows a recomendação é justamente o contrário…. É pedir para ser infectado não é?!
A dica é criar uma conta de usuário pessoal (João por exemplo) e criar outra conta com outro nome para ser o “Administrador” do sistema. Criadas as contas no painel de controle você deve ir em “Alterar tipo de conta” e selecionar uma delas como sendo “Usuário padrão”.  A diferença é que uma delas é membro do grupo “Administradores” e a outra somente membro do grupo “Usuários”. Você pode ainda usa o console de gerenciamento de usuários onde pode ser mais simples:
Iniciar > Execular > lusrmgr.msc
É importante que cada usuário da máquina tenha a sua conta para deixar as coisas separadas, e apenas uma conta com privilégios de administrador para fazer tarefas administrativas. Você não notará diferença absolutamente nenhuma, a não ser quando for adicionar ou remover programas e alterar configurações do sistema. Para todos caso, quando for necessário executar algum programa com privilégios (instaladores por exemplo) será necessário uso da conta apropriada. Basta clicar com o botão direito e em “Executar como administrador“, ou no Windows XP “Executar como…“. O trabalho pode ser ainda mais simples no WIndows 7 com o recurso da UAC que torna o mecanismo automático. No máximo você terá de fazer logoff e fazer logon com a conta de administrador realizar o trabalho.
Pense que quando um vírus é executado no seu sistema, geralmente ele é executado por você, mesmo que acidentalmente. Então ele terá o mesmo nível de privilégio que a sua conta, que sendo restrita fará no máximo alterações em seu próprio perfil de usuário. Mesmo que você seja infectado é bem provável que excluindo a sua conta e criando uma nova resolva o problema.
2º – Anti vírus e software PIRATA
A dica do anti vírus é velha. Mas vale lembrar:
  •  Use um bom anti vírus (AVG, Avast, Avira)
  •  Eles se atualizam automaticamente, não se preoculpe
  •  Processe o anti vírus em qualquer arquivo que baixar da internet, e sempre em pendrives alheios
Esses anti vírus citados são grátis para uso doméstico, e possuem versões corporativas pagas. Mas onde entra a questão do software pirata?
Infelizmente muitas pessoas usam versões “crackeadas” mesmo de anti vírus! Quer dizer, algum hacker mal intencionado (nem todos são) conseguiu burlar a perícia do próprio anti vírus e oferece uma versão independente. O mesmo acontece com inúmeros programas (AutoCAD, Adobe CS, Office, Nero) e Jogos, você pensa estar fazendo um bom negócio mas está abrindo a porta para o inimigo, já que o “crack” deste software pode conter códigos maliciosos que você terá que “engolir” junto.
Então, evite software pirata ao máximo! Respeite o trabalho dos outros, e procure alternativas grátis e confiáveis. Principalmente em ambientes empresariais, onde você está sujeito e fiscalização e ao comprometimento das informações corporativas.
3º – Atualizações automáticas do sistema
A triste realidade e que a grande maioria dos técnicos desativa as atualizações do sistema. Simplesmente por que a maioria das pessoas usam Windows não licenciado, e junto das atualizações do sistema vem a ferramenta de validação da cópia do Windows. Para evitar muito trabalho e que o cliente não se depare com a mensagem de Windows pirata, desativam as atualizações e cortam o “problema” pela raiz.

Saiba que todas as falhas de segurança são corrigidas com as atualizações,  o que as pões em um nível de prioridade ainda maior que um anti vírus. Qualquer software malicioso explora uma falha no sistema, e essas falhas são corrigidas com as atualizações. Isso vale não só para o Windows mas para todos os softwares que você usa como: Firefox, Chrome, Adobe Reader, Office, Java, flash, etc… Trabalhar com o sistema desatualizado é como andar com um carro sem fazer revisões e esperar que tudo funcione perfeitamente bem para sempre.

De qualquer forma você pode simplesmente evitar o procedimento de validação, removendo o programa da lista de atualizações automáticas. Antes de tudo configure o sistema para que confirme as atualizações antes mesmo de serem baixadas :
Configuração no Windows 7

No WIndows XP


 Logo em seguida o sistema procura pelas atualizações e mostra a lista de correções disponíveis. No Windows 7 é usada a de código KB971033, e no Windows XP KB905474. Na própria descrição delas você pode ver que se trata de Ferramenta de ativação do Windows ou algo do tipo, basta desmarcá-las, clicar com o botão direito e em OCULTAR. Pronto, deixe que o sistema instale todas as seguintes atualizações sem medo🙂.

Assim o sistema fica muito mais seguro, sem falar que a Microsoft disponibiliza até mesmo o drivers mais recentes do seu hardware homologados por eles.

Além de deixar o seu sistema protegido de verdade ( e não vigiado, como no caso do anti vírus ) a Microsoft lança mensalmente a “Ferramente de remoção de software mal intencionado“, que finaliza a proteção do sistema, trabalhando como um anti vírus.
A partir destas 3 práticas que são extremamente óbvias e simples, você tem um nível real de segurança e pode trabalhar de consciência limpa. Ma não se esqueça que segurança não para por aí…
Via: Hardware

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s