Brasil transforma Black Friday em “Black Fraude”

 

 

A revista Forbes publicou uma crítica pesada contra a Black Friday realizada no Brasil em uma reportagem que diz que a data está ficando mais conhecida como “um dia de fraude” por aqui.

Intitulada “Nos EUA, a Black Friday é sobre descontos; no Brasil, a Black Friday é sobre fraude”, a reportagem assinada por Kenneth Rapoza diz que a Black Friday realizada no Brasil é mais uma maneira para os varejistas enganarem os consumidores ansiosos por participar de uma tradição norte-americana.

Em um parágrafo em especial, a revista aumenta o tom da crítica. “Se os brasileiros estivessem fazendo a Black Friday da maneira correta, eles estariam acampados em frente ao Shopping Pátio Higienópolis na quinta-feira à noite, ou ao menos correndo pelas portas da FNAC mais próxima às 00h01 da sexta-feira.”

Acesse esse link para ler a reportagem completa (em inglês).

 

CONFIRA ABAIXO O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA FAZER BOAS COMPRAS

 

– A “lista negra” do Procon-SP foi ampliada na semana passada para 325 sites de e-commerce. Confira;

– Guia: o que fazer e o que evitar nas compras on-line – valendo para Black Friday e final do ano;

Serasa libera serviço para consulta de CNPJ de lojas on-line;

 

Via: IDGNow

Drones entregarão encomendas da Amazon em até meia hora

drone carteiro

 

A Amazon pretende fazer a entrega de suas mercadorias em até meia hora com ajuda de drones. No futuro, o Prime Air deixará as encomendas na porta da casa do cliente de forma segura e veloz.

A declaração sobre o investimento em drones, veículos aéreos não-tripulados, foi feita no domingo (1) pelo presidente-executivo, Jeff Bezos, durante entrevista ao programa de televisão “60 Minutes”, da CBS. O sistema poderá ser usado em 86% dos pacotes que a Amazon entrega.

A empresa pretende usar octocópteros. O aparelho tem base circular e voa auxiliado por oito hélices, o que garante estabilidade no ar. Por ser elétrica, a frota de drones também será mais ecológica.

Bezos disse que os drones poderão entregar pacotes com peso de até 5 libras (2,3 kg), como livros e Blu-rays. A distância máxima do percurso será de um raio de 16 km entre o centro de distribuição e a residência do cliente. As encomendas seguirão coordenadas de GPS obtidas durante a compra.

Mas o projeto ainda está no começo. Os drones, que coletarão itens nos centros de distribuição da Amazon e os levarão voando às casas dos consumidores, provavelmente não serão colocados em uso ainda por quatro ou cinco anos, disse Bezos. Isso porque vários testes ainda precisam ser feitos. Também é preciso que FAA (agência americana de aviação) regularize os drones para que voem legalmente.

A empresa fez um vídeo que apresenta o sistema a partir de uma entrega bem sucedida. Veja abaixo:

 

 

 

 

 

 Via: INFO

Em meio a Black Friday, PS4 começa a ser vendido no Brasil por R$4 mil

Após ser alvo de muitas críticas e piadas na web pelo seu preço alto, o PlayStation 4 começou a ser vendido no Brasil nesta sexta-feira, 29/11, pelos 4 mil reais que tanto causaram polêmica desde o anúncio da Sony em outubro.

Como acontece exatamente no dia da Black Friday, que também tem sido alvo de muitas críticas negativas, o lançamento do PlayStation 4 passou um pouco “em branco” entre os brasileiros, que viram os rivais Xbox One e Wii U serem lançados na última semana, antes do console da fabricante japonesa.

Apesar de o lançamento do PS4 acontecer em meio a Black Friday, conhecida por dar descontos em vários produtos, o console não teve nenhum corte em seu preço por aqui.

E aí, você acha que o PS4 vai “vingar” no Brasil com esse preço? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

 

Via: IDGNow

Black Friday: Em 6 horas, lojas já bateram os próprios recordes diários de reclamação

Em apenas seis horas, as três primeiras colocadas no ranking de reclamações da Black Friday já bateram os próprios recordes de queixas em um dia neste ano. Todas as cinco primeiras ultrapassaram a média de queixas diárias.
O Extra.com.br, líder do ranking até aqui, teve 183 reclamações até as 6h, batendo o seu recorde no ano, de 135 em 25 de fevereiro. O número desta madrugada já é três vezes superior à média de reclamações que a loja online recebeu por dia em 2013.
O Ponto Frio – Loja Virtual também bateu as mesmas marcas, superando em duas reclamações as 137 que havia recebido em 27 de setembro. A marca de hoje é quase três vezes a média diária de 48 reclamações.
Já as Casas Bahia – Loja Virtual superou por um o recorde de 23 de agosto, chegando a 87 reclamações, pouco menos que o triplo da média diária de 32 queixas.
Americanas.com  e Submarino estão abaixo de seus recordes no ano, mas bateras as médias diárias, por 56 a 44 e 40 a 31, respectivamente.
Os líderes de reclamações, Extra, Ponto Frio e Casas Bahia, têm reputação Regular de acordo com os consumidores cadastrados no Reclame Aqui, os três com mais de 75% de solução das reclamações nos últimos 12 meses.
Americanas.com e Submarino têm, ambos, reputação Ótima, com índice de solução de casos de 91% e 89,1%, respectivamente.

Lista negra do comércio eletrônico chega a 325 sites; consulte


A relação dos sites de e-commerce não recomendados pelo Procon-SP não para de crescer. A cinco dias da Black Friday e um mês do Natal, o documento ganhou mais três lojas virtuais (Baratoajato.com.br, Myamivendas.com e Miamicelular.com) e agora soma 325 que não responderam às notificações sobre queixas registradas pelos consumidores e, portanto, devem ser evitadas.

A falta de entrega do produto é a irregularidade mais comun entre os sites fraudulentos. A lista é composta por fornecedores que não foram localizados — inclusive pelo rastreamento feito no banco de dados de órgãos como Junta Comercial, Receita Federal e Registro BR, responsável pelo registro de domínios no Brasil.

Neste link você confere os 325 endereços listados. Além disso, vale a pena considerar as seguintes dicas elaboradas pelo Procon-SP para fugir das armadilhas online:

– Procure no site a identificação da loja (razão social, CNPJ, telefone e outras formas de contato além do e-mail);
– Prefira fornecedores recomendados por amigos ou familiares;
– Desconfie de ofertas vantajosas demais;
– Não compre em sites em que as únicas formas de pagamento aceitas são o o boleto bancário e/ou depósito em conta.
– Leia a política de privacidade da loja virtual para saber quais compromissos ela assume quanto ao armazenamento e manipulação de seus dados;
– Imprima ou salve todos os documentos que demonstrem a compra e a confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios, etc.);

– Instale programas de antivírus e o firewall (sistema que impede a transmissão e/ou recepção de acessos nocivos ou não autorizados) e os mantenha atualizados em seu computador;
– Nunca realize transações online em lan houses, cybercafés ou computadores públicos, pois podem não estar adequadamente protegidos.

Valor da Bitcoin passa de R$ 2 mil no Brasil

Duas semanas após bater os R$ 1 mil, o valor da Bitcoin deixou mais uma marca, aqui no Brasil, ao ultrapassar os R$ 2 mil. Às 9h46 desta terça-feira, 26, a moeda virtual era precificada em R$ 2.064,95, de acordo com o Mercado Bitcoin.

Enquanto isso, o Mt.Gox, maior câmbio virtual do mundo, avalia a Bitcoin em US$ 868,49 – valor próximo do recorde de US$ 900 visto na semana passada.

O número mais alto foi atingido na época graças ao reconhecimento da Bitcoin pelas autoridades norte-americanas. Reguladores disseram ver benefícios em moedas digitais e estão progredindo na luta contra os riscos de se usar dinheiro virtual em transações financeiras (saiba mais).

 

Via: olhardigital

Outro parceiro da Apple é flagrado maltratando funcionários


Mais um fornecedor da Apple foi flagrado violando direitos trabalhistas na China. A empresa da vez é a Biel Crystal Manufactory, de Hong Kong, que fabrica telas para iPhone, mas outras – como Foxconn – vivem aparecendo na mídia pelo mesmo motivo.

Em suas unidades chinesas, a empresa força os funcionários a trabalhar por 11 horas diárias, durante os sete dias da semana e com direito a apenas uma folga mensal, segundo denúncia da SACOM (Students & Scholars Against Corporate Misbehaviour)

Também foi dito que os trabalhadores se ferem nas fábricas com frequência e não recebem salários adequados, além de serem forçados a assinar contratos em branco. Na denúncia a SACOM ainda lembra que em 2011 ao menos cinco operários da Biel cometeram suicídio.

Procurada pela Reuters, a Apple disse que investiga casos como este e “insiste” que os fornecedores ofereçam condições seguras de trabalho.