Black Friday: Em 6 horas, lojas já bateram os próprios recordes diários de reclamação

Em apenas seis horas, as três primeiras colocadas no ranking de reclamações da Black Friday já bateram os próprios recordes de queixas em um dia neste ano. Todas as cinco primeiras ultrapassaram a média de queixas diárias.
O Extra.com.br, líder do ranking até aqui, teve 183 reclamações até as 6h, batendo o seu recorde no ano, de 135 em 25 de fevereiro. O número desta madrugada já é três vezes superior à média de reclamações que a loja online recebeu por dia em 2013.
O Ponto Frio – Loja Virtual também bateu as mesmas marcas, superando em duas reclamações as 137 que havia recebido em 27 de setembro. A marca de hoje é quase três vezes a média diária de 48 reclamações.
Já as Casas Bahia – Loja Virtual superou por um o recorde de 23 de agosto, chegando a 87 reclamações, pouco menos que o triplo da média diária de 32 queixas.
Americanas.com  e Submarino estão abaixo de seus recordes no ano, mas bateras as médias diárias, por 56 a 44 e 40 a 31, respectivamente.
Os líderes de reclamações, Extra, Ponto Frio e Casas Bahia, têm reputação Regular de acordo com os consumidores cadastrados no Reclame Aqui, os três com mais de 75% de solução das reclamações nos últimos 12 meses.
Americanas.com e Submarino têm, ambos, reputação Ótima, com índice de solução de casos de 91% e 89,1%, respectivamente.
Anúncios

Black Friday: baixa adesão do brasileiro se deve ao preço ‘pouco atrativo’

SÃO PAULO – Para 32% dos brasileiros, os preços dos produtos ofertados no Black Friday, ação que reunirá ofertas em mais de 120 lojas virtuais no dia 29 de novembro, não são convidativos. Segundo o levantamento realizado pelo aplicativo Pinion, esse é o principal motivo da pouca adesão dos consumidores do Brasil no evento, já que, do total de entrevistados, 70% não participaram das três edições passadas.

A pesquisa, que entrevistou 2.131 usuários de smartphones de todo o Brasil no período de 25 a 28 de outubro, ainda mostra que, além do preço, outros 15% afirmam que não compraram por terem ouvido alguma reclamação de terceiros, 14% enfrentaram indisponibilidade de estoque e outros 12% encontraram dificuldades na hora de fazer a compra devido a problemas no site da loja.

Para os entrevistados, um desconto médio de 45% seria o ideal para considerarem efetuar uma compra. Já 71% deles afirmaram procurar informações com antecedência sobre os produtos que pretendem adquirir no evento.

Há menos de um mês da quarta edição brasileira, 32% dos consumidores afirmaram que vão realizar alguma compra este ano. Entre eles, o gasto declarado foi de, R$ 698,98, em média, e o cartão de crédito parcelado aparece como a principal forma de pagamento, com 52%.

Mais de 24% dos consumidores pretendem fazer a compra no cartão à vista e 10% em débito em conta, contra 9% que vão efetuar a compra por boleto bancário. Já 56% ainda não sabem se devem comprar e 12% já afirmaram que não têm intenção de participar desta edição.

Os mais procurados
Quando questionados por ordem de preferência sobre quais produtos pretendem comprar, 47% optaram por celulares e tablets, 38% eletroportáteis e eletrodomésticos, 37% informática, 31% produtos de moda e acessórios, 30% games, 29% beleza e saúde, 26% perfumaria e cosméticos, 25% livros e 23% câmeras e filmadoras. 

Via: uol